Fiscal

Os documentos que devem ser enviados são as Notas Fiscais de saída D1 e M1, prestação de serviço, entradas e ECF. E se a empresa for emissora de NF-e, deverá enviar também o arquivo xml das notas emitidas e recebidas no mês. Também deverão ser enviadas as guias dos impostos pagas referentes ao mês anterior. Todas as empresas têm até o dia 5 de cada mês para enviar essa documentação para o escritório

Sim. Todas as notas emitidas, os XML deverão ser enviados.

Conforme legislação, as notas fiscais devem ser arquivadas por até 5 anos

  • O Simples Nacional implica o recolhimento mensal, mediante documento único de arrecadação, dos seguintes tributos:
  • - Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ);
  • - Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);
  • - Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL);
  • - Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS);
  • - Contribuição para o PIS/Pasep;
  • - Contribuição Patronal Previdenciária (CPP);
  • - Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e
  • - Intermunicipal e de Comunicação (ICMS);
  • - Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS).

Sim, porém, só poderar ser efeutado o parcelamento no ano caso tenha tido nenhum parcelamento efetuado no mesmo ano corrente, e as guias que não forem pagas dentro do prazo poderão ser recalculadas (com multa de até 20% e juro diário de 0,33%) para pagamento posterior mas sem opção de parcelamento..

Para cada operação sempre existirá uma CFOP especifica, pedimos que antes de que seja emitida qualquer fiscal, solicite ao nosso departamento fiscal qual será a melhor e correta operação. Segue a baixo o link da SEFAZ que nos mostra a tabela de CFOP completa
Consulte na tabela: http://www.sefaz.rs.gov.br/ASP/Download/TabelaCFOP4.doc

Podemos conceituar a Nota Fiscal Eletrônica como sendo um documento de existência apenas digital, emitido e armazenado eletronicamente, com o intuito de documentar, para fins fiscais, uma operação de circulação de mercadorias ou uma prestação de serviços, ocorrida entre as partes. Sua validade jurídica é garantida pela assinatura digital do remetente (garantia de autoria e de integridade) e pela recepção, pelo Fisco, do documento eletrônico, antes da ocorrência do fato gerador

Atualmente a legislação nacional permite que a NF-e substitua apenas a chamada nota fiscal modelo 1 / 1A, que é utilizada, em regra, para documentar transações comerciais com mercadorias entre pessoas jurídicas. Não se destina a substituir os outros modelos de documentos fiscais existentes na legislação como, por exemplo, a Nota Fiscal a Consumidor (modelo 2) ou o Cupom Fiscal. Os documentos que não foram substituídos pela NF-e devem continuar a ser emitidos de acordo com a legislação em vigor.

Para cada operação sempre existirá uma situação de emição de nota fiscal especifica, pedimos que antes de que seja emitida qualquer fiscal, solicite ao nosso departamento fiscal qual será a melhor e correta operação. Segue a baixo o link da SEFAZ que nos mostra a tabela de CFOP completa.
Consulte no portal da Nota Eletrônica: http://www.nfe.fazenda.gov.br/portal/Default.aspx

As empresas não optante pelo regime do Simples Nacional, deverá recolher o diferencial de alíquota na aquisição interestadual referente a aquisição de ativo fixo e use e consumo.
As empresas optantes pelo regime do Simples Nacional são obrigadas a recolher o diferencial de alíquota entre nas aquisições de mercadorias interestadual, caso haja a diferença de alíquota do estado destinatário e a alíquota interestadual, sendo assim somente existirá diferencial de alíquota a ser recolhido caso o percentual da alíquota interna seja superior ao da alíquota interestadual