Crédito em tempos de crise – Você deve realmente usar?

29 de maio de 2020 | Sem categoria |

Bom pessoal, estamos a mais de 60 dias no isolamento decretado aqui no estado de São Paulo, e mesmo com todos os esforços, o Governo do Estado de São Paulo decretou mais 15 dias de quarentena, porém com um programa de abertura controlada, e com isso, o caixa das empresas mais vulneráveis vai se esvaindo, dia após dia em que elas estão fechadas ou mesmo com baixa operacionalidade, seja por conta do isolamento ou mesmo o mercado que não está totalmente operacional. E por isso muitas estão em busca de facilidades de crédito.

     Já prevendo isso, o governo federal em abril já disponibilizou ajuda emergencial a autônomos e empresas, e ao longo do tempo vem tomando medidas que visam prolongar o caixa das empresas, e, com isso a sua sobrevivência e dos empregos, tantos quanto puderem ser salvos.

     Vamos analisar um compilado dessas medidas tomadas pelo governo federal e também pelo governo estadual de São Paulo, e, mais do que isso, analisar se é o momento de tomá-las ou se seria melhor aguardar, então vamos a elas:

  • MP 944 – 03/04/2020: Essa medida veio no início da crise de isolamento brasileiro, está centrada em crédito para a folha de pagamento das empresas, destinada a empresas com faturamento entre R$ 300.000,00 e R$ 10.000.000,00 com base no ano de 2019, esta linha de crédito que é subsidiada 85% pelo BNDS através do tesouro nacional, e 15% pelas instituições, os valores devem ser direcionados diretamente para a conta do funcionário, com o limite por funcionário de 2 salários mínimos, a taxa é de 3.75%a.a., que é a SELIC vigente, em 36 parcelas. Sendo que conta com 6 meses de carência para o pagamento da primeira parcela. Vale lembrar que o crédito obriga as empresas a estabilidade de emprego de 60 dias após a última parcela contratada do empréstimo.
  • Desenvolve SP: O banco de fomento comercial do Estado de São Paulo também reduziu drasticamente suas taxas para auxiliar as empresas do estado no enfrentamento da crise, também usando o BNDS como lastreador das operações, com linhas que vão de 7,82% a.a. a 15.38% a.a., em planos que podem chegar a 60 meses e 12 meses de carência para capital de giro das empresas, ou seja, dinheiro na conta para ser usado.
  • PRONAMP – Lei 13.999/20: Linha de crédito fornecida para capital de giro das empresas com faturamento de até 4.8mi/ano, foi publicada no dia 18 de Maio de 2020, com vetos, pode ser requerido em bancos que aderiram ao programa, hoje os que “automaticamente” foram adicionados são Banco do Brasil S.A., a Caixa Econômica Federal, o Banco do Nordeste do Brasil S.A., o Banco da Amazônia S.A. e os bancos estaduais. Este programa não prevê a estabilidade de emprego, mas sim que deve se preservar o quantitativo de empregados em número igual ou superior do informado na data da aquisição por até 60 dias após a última contratação do crédito. Outro ponto importante é vedado o recurso para pagamento de dividendos aos sócios e a taxa de juros é de 5%a.a. com 36 meses de prazo. O Valor que pode ser contrato é de 30% da receita bruta do ano de 2019, ou se a empresa não tem um ano de fundação, de 50% do capital social ou 30% da média de faturamento. Nesta modalidade existem garantias que as empresas terão que fornecer, vale a pena estudar um pouco mais a fundo.

Bom gente, essas são as 3 maiores medidas no que diz respeito à concessão de crédito aos empresários neste momento, existem outras medidas que já tratamos anteriormente (você pode ver no nosso blog), no tocante a legislação trabalhista e prorrogação de impostos, e, com tudo isso posto a mesa, é hora de pensar.

Como eu disse no post anterior, é hora de pensar friamente e ter sangue de barata, não é porque o crédito está barato que devo assumi-lo desenfreadamente pois um dia a parcela chega, é para este momento que iremos.

Vamos lá, pensa comigo no seguinte cenário, sua empresa está aberta, seu faturamento caiu, mas está conseguindo dar conta do pagamento, com pouco prejuízo ao seu andamento “normal”, se você prorrogar estes pagamentos, assumir empréstimos, para investir naquele projeto que está engavetado por falta de recursos ou mesmo satisfazer alguns desejos pessoais e não empresariais, essa conta chega e no momento que chegar, você terá caixa ou faturamento para cobrir as parcelas?

É necessária uma análise de sua empresa, seu fluxo de caixa e de todas as despesas que podem ser cortadas afim de assegurar caixa para um período longo, inclusive amplamente anunciado, vem aí um grande problema econômico e a formação de caixa para sustentar seu negócio te dando a chance de diminuir ou investir, esticar ou antecipar determinados passos é fundamental estar capitalizado para conseguir sobreviver a uma tormenta provavelmente maior do que a estamos vivendo no momento.

Tenha em mãos um bom fluxo de caixa, para poder fazer previsões e desenhar possíveis cenários, pois todas as decisões devem ser baseadas em fatos, números e boas previsões.

Conte com a Samá Contabilidade para ajudar neste momento tão difícil da história humana e das PMEs do Brasil.

Até a próxima, fiquem seguros.